segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Benefício INSS: Novas regras para pedido de auxílio-doença









A partir do mês de Fevereiro de 2013 novas regras para pedido de benefício por incapacidade foram implementadas.
Antes a perícia de reconsideração(PR) só poderia ser realizada por médico perito diferente do que fez a perícia anterior, porém agora poderá ser feito pelo mesmo servidor.
Outra alteração é a não possibilidade de marcar nova perícia logo após uma cessação ou indeferimento, pelas novas regras o segurado terá que esperar 30 dias para fazer novo pedido de beneficio por incapacidade.
Essas devem ser alterações provisórias que tem o objetivo de diminuir a quantidade de pedidos de pericia e consequentemente haverá menos espera.
 
Agora mais do que nunca, é importante que o segurado não perca o periodo de marcação de  PP(Pericia de Prorrogação), que começa 15 dias antes da cessação.
 
 

85 comentários :

marina moraes disse...

Boa tarde, excelente informação! Mas continuam existindo o pedido de reconsideração e de prorrogação né? Esses 30 dias são apenas para os casos que tenham indeferimento da reconsideração ou da prorrogação? Muito obrigada!

Mr. Prev disse...

COntinuam existintos as pericia de reconsideração e prorrogação, o que mudou foi a amrcação de novo beneficio que agora tem que esperar 30 dias.

Gabi disse...

Parte 1. Mr. Prev, tenho uma dúvida, ( vou dividir esta mensagem em 3 partes pois é grande e não consegui resumir) minha irmã teve L.E.R em 1995 contraída pela função de caixa, de lá até 1012, ela teve mais de 10 afastamentos, todos por espécie acidentária (91), o quadro da doença, piora a cada exame,passou por 3 CRPs, no INSS um no ano de 1999, 2000, 2002, foi enviado para o banco , ordem do INSS para alterar a função, pra que não houvesse agravamento da patologia, porém a função só foi alterada em 2007, quando ela sofreu um acidente de trajeto indo ao trabalho, ela era caixa, colocaram um cargo que não existe, assistente de auto atendimento, porém ela continuou a exercer uma função bem parecida com a do caixa, digitava as 6 horas diárias, durante este período, ela teve afastamentos, altas e novos afastamentos, o quadro piorou, depois do acidente, ela não tem força nos braços, cai com frequência dentro dos ônibus, em consequência disto, o médico dela esta pedindo afastamento por tempo indeterminado, pois o quadro está cronico, apresenta piora a cada exame, e o INSS não está concedendo o beneficio por um prazo maior, o médico afasta ela, chega o dia da perícia, que demora em torno de dois meses, e o perito dá alta imediata, ela volta ao trabalho sem condições nenhuma, não aguenta um mês inteiro, fica de atestado, 5 dias, 1 dia no trabalho, mais 10 dias até dar o prazo pra novo afastamento e o ciclo se repete... porém ela retornou de uma licença em agosto de 2012, não estava em condições, a empresa encaminhou pro INSS em outubro devido ao número de atestados, ao sair de licença, em outubro, a perícia ficou somente para janeiro 2013, o INSS indeferiu, mesmo com laudos, exames e com a mão inchada, ela pediu PR, passou por nova perícia em 26/02/13, foi indeferido de novo, o perito alegou que ela estava reabilitada

Gabi disse...

Parte 2-Porém desde que ela foi encaminhada para a reabilitação, a empresa não acatou, mudou apenas a função como mencionei, de 5 anos para cá, a empresa a deixou em situação precária de trabalho, fez todo um prontuario com um programa de retorno de trabalho para que ela exercesse tais funções... estas não saíram do papel, a coitada ficou digitando e fazendo serviços que nenhum outro funcionário queria fazer... rasgar papel... sentada em cima de um cofre, sem ter com quem conversar e pra quem olhar. Não a mandaram para um local próximo a minha residencia, conforme foi orientado pelo médico assistente dela, isso já a mais de 5 anos... ela fazia arquivos abrindo gavetas enormes e pesadas, e muitas vezes sentada no chão para arquivar em gavetas mais rentes ao chão.. . ela tem tendinite nos dois punhos, epicondilite nos dois cotovelos, inflamação nos tuneis do carpo das duas mãos, mas em diferentes dedos, bursite , tendinite de bíceps nos dois ombros, bursite calcarea, síndrome do impacto e depois do acidente de trajeto, passou a ter dores na coluna, fica com a perna travada e muitas vezes impossibilitada de andar, a cada retorno ao trabalho, e ainda uma neurite intercostal, que infelizmente esta neurite só pode ser confirmada com exames que administram contraste,porém ela é alérgica,mas os sintomas são de neurite, ela sempre comentou isto comigo, chegava chateada, pois ouvia piadas e chacotas de colegas de trabalho, foi discriminada, chamada de aleijada, e ela gravou no ano passado um gerente que foi apresenta-la ao colega como sendo um nada, que ela estava somente indo bater ponto na empresa pois o INSS não a queria.. mas que ela não era nada ali e no final da gravação o colega ainda ri...

Gabi disse...

parte 3- ela gravou imagens pois ela queria provar que estava passando por uma pressão psicológica, pois quando ela falava pra mim eu achava exagero, fiquei horrorizada, até chorei, ela passa o dia todo sentada em cima de um cofre que não tem altura de cadeira, super baixo, o espaço é pequeno e não cabe mais uma cadeira, tem apenas a de um gerente que fica trabalhando tanto que nem olha para os lados, ela não pode nem se virar... e ali ela permanece das 10 as 16:15hs, olhando no relógio as horas passarem...e contando a hora pra sair correndo... olha ela ficou num estado de nervos tão grande por estar aguentando isto a tanto tempo, e ainda com o indeferimento do Inss, que ela surtou, ela já estava tendo sintomas de esquecimentos perdeu documentos, passa direto do ponto de ônibus, chora sem arar... ai eu assumi pra cuidar dela, hoje eu a levei no médico e ela foi diagnosticada com depressão cid; F33.1, além de ter que voltar a trabalhar sem condições físicas agora está depressiva, ela só retornou ao trabalho, pois ficou sem pagamento desde outubro de 2012 a fevereiro de 2013, estava sem dinheiro até par comer, eu que estava ajudando ela, enquanto o marido dela só pagava as contas, quando o INSS INDEFERIU PELA SEGUNDA VEZ, ela foi na empresa com os atestados, laudos e disseram que se ela não voltasse seria abandono de emprego, o médico do trabalho se recusou a fornecer um laudo para a pericia, dizendo que ele não era ortopedista.

O que posso fazer ? ela está aos meus cuidados pois está tendo alucinações, não fala coisa com coisa, ficou pior com o indeferimento, não lembra as coisas, o médico psiquiatra só não a afastou pois ela retornou ao trabalho em 26 de fevereiro, e disse que o INSS vai indeferir se ela sair novamente.. ela já é mais a mesma pessoa, e agora depende até de mim e da minha familia para ajudá-la, já chorei... pois minha irmã não era assim. Posso entrar com ação judicial contra o inss, para que ela possa receber o beneficio que negaram, e entrar novamente em benefício por problemas psiquiatricos?
Me ajude, eu pego procuração para fazer isso por ela , pois ela já não está em condições, o marido dela que estava levando ela ao trabalho, e eu estava indo buscá-la, pois quando ela foi sozinha passou dois pontos de ônibus da qui de casa e me ligou dizendo que não sabia onde estava, foi um pedestre que ajudou ela a ligar e disse onde ela estava, a apenas a dois pontos daqui.. um local que fui busca-la a pé, não é justo ela perder este beneficio que o inss indeferiu, sei que ainda está no prazo pois a pericia da PR FOI EM 26/02/13. E eu vou na empresa falar co m o medico do trabalho, pois isto o que fizeram com minha irmã foi desumano. me oriente se tem como eu recorrer?

Gabi disse...

Mr. AGRADEÇO SE ME ORIENTAR, POIS SENÃO QUEM VAI ELOUQUECER SOU EU...

Mr. Prev disse...

Vamos lá!
Se a pericia na agencia nao concede cabe tentar entrar com recurso à Junta(tem 30 dias para isso apos comunicação do indeferimento), se continuar negado vai para a Justiça.

Recomendo ate apos entrar na Justiça tentar um novo beneficio, mesmo sabendo que pdoe ser indeferido, pois recurso à junta pode demroar uns 2/3 meses entao é interessante tentar um novo, vai que concede, pelo menos vai recebendo daqui para frente e os atrasados ficam por conta do recurso.

Se entrar na Justiça antes de entrar comr ecurso a Junta nem vai analisar, sugiro protocolar primeiro à junta.

Dany Souza disse...

Prezado Mr.Prev, desculpe perguntar nesse post, mas é que não consegui postar a pergunta no post sobre perícia médica. Preciso novamente de seu auxílio em responder uma dúvida. Passei pela perícia inicial em janeiro e foi me concedido benefício de natureza acidentária até 20 de fevereiro de 2013. Como 15 dias antes de terminar esse prazo eu ainda não tinha me recuperado totalmente da fratura, solicitei a prorrogação e a nova perícia foi agendada só pra 18/05. Ocorre que já estou melhor que na ocasião que pedi prorrogação e acabo de ser convocada em um concurso público no qual fui aprovada no ano passado antes do acidente. Tenho 30 dias para assumir. O problema é que estou licenciada de um emprego público e recebendo a prorrogação do INSS. Gostaria de saber se é possível cancelar o pedido de prorrogação do benefício? Preciso fazer isso pra que eu possa me demitir do meu emprego público e assumir o novo cargo público sem o problema de acumulação de cargos. Posso cancelar o pedido de prorrogação ou serei obrigada a esperar pela perícia de prorrogação? A empresa não me aceita de volta enquanto estiver recebendo do INSS. Agradeço desde já pela resposta e fico no aguardo.

Gabi disse...

1- O INSS, pode indeferir mesmo sendo afastamento por outro motivo?
2- E no caso, protocolo um recurso à Junta, minha irmã passará por nova perícia ou esse recurso será analisado em Brasília sem nossa presença?
3- O INSS não vai alegar que ela retornou ao trabalho e então o perito teria razão no seu parecer? embora ela tenha voltado sob a pressão de abandono de emprego e de estar sem dinheiro pra viver. tudo bem que foram só alguns dias trabalhado do dia 27 até dia 13/03 mas entre estas datas tem alguns dias de atestado poie eu a levei no médico devido as dores que pioraram ao retornar e ficar sentada em lugar inapropriado , e do dia 13 ela trabalhou meio período, e levei ela ao médico então agora está de atestado por 15 dias, sob tratamento psiquiátrico.
Olha gostei muito do seu blog, informações importantíssimas que apenas poucos antes tinham acesso, agora qualquer pessoa que tenha uma internet ou conhece alguém que tenha, estará bem informado. Parabéns. E muito obrigada.

Mr. Prev disse...

Voce pode pedir o cancelamento do pedido de prorrogação, caso ja tenha recebido alguma coisa terá que devolver atraves de uma GPS de estorno.

Mr. Prev disse...

Voce pode pedir o cancelamento do pedido de prorrogação, caso ja tenha recebido alguma coisa terá que devolver atraves de uma GPS de estorno.

Mr. Prev disse...

Em caso de recuso à junta, há necessidade de uma nova pericia na agencia que muita vezes não na prensaça da pessoa, apenas analise dos novos laudos apresentados.
Se mantiver o indeferimento vai para Junta.

Ela retornou pois houve cessação/indeferimento, tentou trabalhar e nao conesgiu, nao vejo isso como prova que ela está em, ao contrario.

Em relaçao a poder indeferir, isso é materia medica, nao tem como eu orientar muito, mas no momento que o perito acha que o probelma de saude dos egurado nao afeta sua capacidade laborativa, ele pode indeferir.

Muitas vezes os peritos acreditam que pelo fato do segurado ter passado por um processo de reabilitação, a pssoa tem condiçao de trabalhar, proem nem sempre da certo, nesse caso é necessario provar com laudos/atestados.

Eliza Ferreira disse...

Bom dia
Fiz uma pericia ontem referente a bursite trabalho em Call Center .. e tenho um bebe pequeno não consigo nem amamentar o bebe de tanto q o braço doi e ele doi por inteiro desde mao ate ombro ... fiz exames ultrasson na mao não deu nada e cm isto o perito nem levou em consideração q deu bursite em ultra bom na realidade me senti muito mal pois ele mal olhou na minha cara eu ia falar as coisas ele m interrompia e ainda chegou a dizer q não tenho nada so por causa do exame da mao . eu estou cm atestado do meu ortopedista ele nem quis aceitar e disse para eu voltar ao trabalho .. estou fazendo o pedido de reconsideração tenho mesmo q voltar ao trabalho mesmo tendo atestado do meu ortopedista?

Dany Souza disse...

Obrigada pela gentileza da resposta rápida. Tenho só mais algumas perguntas. Quais são os procedimentos pra pedir o cancelamento da Perícia de prorrogação? Precisarei ir a uma agencia do INSS ou posso fazer isso pela Internet? O que eh uma GPS e onde posso consegui-la?

Mr. Prev disse...

Se voce marcou pericia de recosndieração nao precisa voltar, a não ser que voce tenha condições. Caso a pericia demore e voce recupere a condição de trabalahr pode voltar e no dia da pericia comunique o perito o dia que voltou para que nao haja pagamento pós retorno ao trabalho(isso se for concedido).

Mr. Prev disse...

Da para fazer ate pelo 135, mas cmo ja pode ter havido pagamento e voce devera devolver ou ser bloqueado caso ainda na tenha havido saque, sugiro ir ao INSS

Mr. Prev disse...

Se houver devolução a GPS vai ser entre na agencia do INSS.

Flaviø disse...

Ola bom dia!
Gostaria de uma orientação! Ano passado meu pai sofreu um AVC. A empresa não o afastou em nenhum período, permitindo sua recuperação em domicílio realizando alguns trabalhos, já que o mesmo era o gerente geral na região. Porém meu pai nunca se recuperou totalmente e permanece em tratamento por Neurologista/Psiquiatra. Agora mês passado a empresa decidiu demiti-lo. No exame demissional após conhecimento do Médico sobre a situação, foi solicitado um laudo de neurologista/psiquiatra. Com o laudo o Médico do Trabalho enviou informação para empresa para agendar perícia no INSS. Minha dúvida é se há algum prazo para empresa agendar esta perícia. Porque já foram os 15 dias de atestado e mais 15 dias de espera e nenhuma resposta da empresa em relação a este agendamento. Com isso meu pai irá receber somente meia remuneração e ficará sem nenhuma outra renda até a resolução deste problema. E se há alguma forma de acompanhar todo este processo? Grato!!

Flaviø disse...

Só mais uma dúvida. No caso, o meu pai mesmo não pode fazer todo este procedimento de agendamento da perícia? Mais uma vez grato!

Mr. Prev disse...

A empresa paga os 15 dias e a partir do 16ºs emrpesa ou qualquer outra pessoa pode marcar a pericia pelo 135 ou Internt.
Mas é necessario levar no dia da pericia o requerimento de beneficio por incapacidade preenchido e assinado pela empresa informando o ultimo dia.
Se for amrcar a epricia na agencia do INSS temq ue elvar esse requerimento no dia da amrcação.

Voce pdoe ligar no 135 para confirmar se ha agendamento de pericia marcada e qual a dta.

fatima maria disse...

Bom dia M.Prev.
Preciso de um esclarecimento.A Perícia do INSS me encostou até 19/03/2013. Acontece que perdi o período para marcação do PP e só marquei dia 23/03/2013.Como perdi o prazo e marquei com 3 dias de atraso, caso seja aprovada perderei os 3 dias ou receberem desde a minha alta.
Desde já
Agradeço

Mr. Prev disse...

Depende!

Voce mrcou que tipo de pericia, Reconsideração ou novo pedido?

Se for reconsideração receberá de onde parou, mas se for novo beneficio ha chances de restabelecer o anterior caso o mdico perito coloque informacoes identicas ao do beneficio anterior, caso contrario perde esses 3 dias.

Mas se nao me engano, em ate 5 dias apos cessação o sistema ainda deixa marcar prorrogação, tem certeza que o seu nao foi prorrogação?

Roberto Cairo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberto Cairo disse...

ola mr.prev ,minha mae deu entrada no inss porpocional ela tem 25 anos e 5 mes de contribuiçao ela e autonoma costureira ,eles derao indeferido ,ai ela entro com recurso e no recurso dis assim .em CONHECER DO RECURSO E DAR-LHE PROVIMENTO PARCIAL ,POR UNANIMIDADE .de acordo com o voto do relator ,oque de dizer isso que ela ganho a aposentadoria, ja faz um ano que ela entro com a porpocional e agora chego essa carta iscrito isso sera que ela vai receber desde quando ela entro e foi deferido me ajuda ai

Roberto Cairo disse...

mr prev ela tem 57 anos e 25 e 5 mes de contribuiçao ela pediu porpocional e foi indeferido ela deu entrada no recurso e conta que isso no recurso , CONHECER DO RECURSO E DAR-LHE PROVIMENTO PARCIAL,POR UNANIMIDADE ,isso que dizer que ela ganho o recurso ,sera que ela vai receber desde quando ela entro pra aposentar e deu indeferido , me ajuda muito obrigado

Mr. Prev disse...

Recurso parcial é sinal que consideraram algumas coisas que ela pediu, mas não tudo.

Se ganhou vai receber desde que entrou com o pedido de aposentadoria , caso ela tenha entrado dentro do prazo correto.

Lendo o relatorio da para saber o que foi considerado e não foi, e se vai dar o tempo.

Roberto Cairo disse...

aonde eu pego esse relatorio quero saber

King Edward disse...

Mr. Prev. Estou afastado desde agosto de 2000 por acidente de trabalho (91). Em 2008 recebi alta do INSS e depois de algumas tentativas de retorno ao INSS entrei com uma ação contra o INSS pedindo aposentadoria. Em março deste ano saiu a sentença que eu tenho a doença mais não é caso de aposentadoria. Desde o inicio do mês de março 2013 tento voltar ao trabalho mais a empresa só me aceita de volta com algum documento do INSS que estou de alta. Continuo recebendo e acho que vou ter que devolver o que recebi desde março 2013. O que devo fazer para voltar ao trabalho e se posso cobrar da empresa esse dinheiro que vou devolver ao INSS?

Mr. Prev disse...

Espera ai, mas seu beneficio acabou em 2008 u voce esta recebendo ate hoje?

Se estiver recebendo devido a decisao da justiça(tutela antecipada), nao terá que devolver. SO devovle em casos de irregularidade ou fraude.

Terminando o beneficio voce pode voltar ao trabalho. Se for beneficio judicial, o juiz vai ter que liberar, se o seu beneficio for administrativo, entao basta ir ao inss e pedir "alta a pedido"

patricia baqrbosa disse...

AMIGO MEU PEDIDO DE PROROGRACAOA FOI DEFERIDO PARA MESMA DATA DA PERICIA COMO EU JA TINHA PEDIDO UMA PR ANTERIORMENTE O SISTEMA NAO LIBEROU A MARCACAO DE NOVA PP POR DIZER Q JA HAVIA PR E AGORA?

Mr. Prev disse...

Agora so depois de 30 dias para marcar novo beneficio ou entra com recurso nesses 30 dias.

Karina Reis disse...

Minha mae esta com problemas psiquiatrico desde a morte do meu irmã em fev deste ano o psiquiatra dela e o med da empresa diz q ela ñ tem condiçoes de trabalhar ela é tec de enfermagem. A pericia já negou o pedido 03 vezes como fazer neste caso... Obrigada

Mr. Prev disse...

Você tem a opção de entrar com recurso à junta ou tentar judicialmente, caso ela não consiga voltar ao trabalho

Eduardo Efraim Ribeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sara samuel disse...

Olá,

tenho sofrido uma série de assédio moral no trabalho. Comecei um tratamento com psicologo e psiquiatra que decidiram me afastar para intensificar o tratamento. o cid é f32. Seria possível que o INSS me afastasse por acidente de trabalho?

Mr. Prev disse...

Sara, essa sua pergunta se refere a parte médica, mas é muito porco provável que seja considerado acidente de trabalho

Carlos Eduardo disse...

Boa tarde Mr. Prev, solicito ajuda, a esposa de meu pai teve problemas de saúde (aneurisma), o qual se encontra com sequelas desta operação desde 2008 (não sei exatamente se é este o ano), pois os dois moravam em MG. Hoje ela se encontra aqui no RJ e fazendo uma faxina nos papéis encontrei algumas cartas, inclusive do INSS a qual uma era para comparecer ao banco para recebimento do auxilio-doença e outra auxilio-invalidez, no ano de 2007 e 2009, porém, ao chegar no banco foram informados que não havia nada a receber. Fui ao INSS e fui informado que o deferimento ocorreu sim e foi enviado a carta para pagamento, porém houve um erro (que não dizem o que foi) e os auxílios foram indeferidos.
O senhor pode me ajudar em algo? Posso entrar novamente solicitando o auxílio retroativo ou somente devo tentar a partir de agora?
Aguardo seu contato e desde já agradeço a atenção.

Mr. Prev disse...

Carlos, se o auxílio-doença antigo está correto, ela apenas não foi no banco e o dinheiro retornou ao INSS, tem como ela pedir o pagamento das competências que não ultrapassaram os 5 anos desde a emissão.

Agora em relação a pedir novo auxílio-doença, ela só ira receber se estiver incapaz hoje, e receberá da data do pedido para frente, não os atrasados.

Resumindo: atrasados só os que estão dentro dos 5 anos e se tinha direito lá na época.

Carlos Eduardo disse...

Bom dia Mr. Prev, agradeço a sua atenção, entendi que ela pode entrar com novo pedido de auxílio-doença, porém, ainda ficou a dúvida do que ocorreu no pedido passado sendo que meu pai foi ao banco para receber e lá informaram que não havia nada a receber. Fui ao INSS e fui informado que o deferimento ocorreu sim e foi enviado a carta para pagamento, porém houve um erro (que não dizem o que foi) e os auxílios foram indeferidos.
Outra pergunta: Meu pai veio a falecer em agosto e dei entrada na pensão pos-morte para sua esposa (a mesma pessoa que estamos falando sobre o auxílio-doença). Ela pode receber pensão pos-morte e também auxílio-doença?

Mr. Prev disse...

Carlos, ela pode receber a pensão por norte e auxilio-doença cumulativos.

Em relaçao ao indeferimento, se foi um erro do sistema entao o INSS deve reativar o benefícios, mas isso só a agencia do INSS para informar como será feito.
Recomendo ir la e pegar informações como se foi deferido mesmo, e até quando, e quando sera reativado o beneficio

Carlos Eduardo disse...

Boa tarde Mr. Prev, agradeço pela atenção e esclarecimentos, vou tentar junto ao INSS resolvers as pendências, caso não consiga, vou pedir orientações junto a um advogado para dar entrada no pedido.
Abraços...

Geiciéli França disse...

meu pedido de auxílio acidente não foi aceito e eu estou sem poder trabalhar devido às sequelas do acidente e sem renda alguma; o q devo fazer? esperar 30 dias e tentar o auxilio doença? e enquanto isso, como fica a situação no trabalho?

Mr. Prev disse...

Geiciele, se você não tem condições de trabalhar então vai ter que pedir pericia de reconsideração e depois recurso, podendo também entrar com novo pedido de perícia.

Se você já tem condições de voltar, então volte e entre com r recurso tentar receber o tempo parado.

Enquanto tiver marcando pericia a empresa não deverá fazer nada, mas se parar de marcar e não voltar ao trabalho pode demitir.

Janaina Muniz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Janaina Muniz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cilla Arts disse...

ola boa tarde... o medico do trabalho me afastou e dei entrada no inss,la eu recebi uma carta no qual eta escrita Deferimento do pedido .. fala que reconhecem o direito ao aux doença que foi feito p medico do trab no dia 11/11/2013 poois tinha ficado comprovada a minha imcapacidade de trabalho. e me concederam o beneficio ate hj dia 19/11/2013.. nao entendi ainda vou levar na minha empresa essa carta no dia 21/11 eu ainda nao estou capacitada de exercer o trab ainda pela tendinite,trabalho cm call center tudo e produçao.. cm que isso funciona

Mr. Prev disse...

A principio foi concedido beneficio ate hoje dia 19, sendo assim a partir do dia 20 deveria voltar ao trabalho, mas se não tiver codnição pode pedir pericia de reconsideração.

Patricia Silva disse...

minha mãe ja teve cinco prorrogações, a ultima pericia deu reconcideração, como devo proceder vai acabar o prazo dia 30 de novembro e só posso agendar dia 03 de janeiro nova pericia, como devo proceder a respeito do trabalho dela e do inss

Mr. Prev disse...

se ela nao tem prazo para PP e já usou o PR então vai ter que marcar recurso e depois de 30 dias também pode marcar nova pericia, isso se nao tiver condições de voltar ao trabalho.
Se a empresa tem medico do trabalho, passe nele e veja o que ele acha sobre o retorno, se nao possui apenas comunique a emrpesa, sobre o recurso e apresente laudo do medico particular mostrando que ainda nao está bem.

MARCELO FIGURELLI disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
MARCELO FIGURELLI disse...

ola...preciso esclarecer uma duvida, tenho minha primeira pericia agendada para 12/02/14, porem ja estou de alta pelo meu psiquiatra, posso solicitar alta antecipada, e o R$ desses meses (estou afastado desde nov/13) eu recebo normalmente seme for concedida a alta antecipada ???

obrigado

marcelo

Mr. Prev disse...

Alta antecipada é para quem está de beneficio, pelo que você falou você ainda irá fazer a primeira perícia, nem sabe se vai ganhar alguma coisa.

Se tem condições e laudo do médico dizendo isso pode voltar ao trabalho efazer a pericia depois, apesar de muitas empresas falarem qeu tem qeu esperar a pericia, não existe nenhuma legislação que fale isso. O médico do trabalho pode decidir se você está apto ou não.

marchonha disse...

gostaria de saber quanto tempo uma pessoa pode ficar licenciada no mesmo beneficio pois estou a dez anos 3 vezes na rebilitaçao e nada ,acidente de trabalho

Claudete Dias Resende disse...

Se durante o tempo em que o trabalhador estiver recebendo o auxilio doença ele adoecer por outro motivo (CID, ele deverá requerer prorrogação ou é um novo afastamento?

Mr. Prev disse...

Marchonha, não existe na lei um período máximo, sem perícia poderia ficar no máximo 2 anos, mas prorrogando pode ficar muito mais.
Só não entendi esse papo de 3 reabilitações. Fez uma não deu certo encaminha para aposentadoria, deveria ser isso.

Mr. Prev disse...

Pode ser prorrogação, o medico pode mudar o CID no sistema, até porque depois de cessado o beneficio só pode dar entrada em um novo pedido depois de 30 dias.

marchonha disse...

E mr prev mas e isso mesmo mas aqui em volta redonda isso não acontece

marchonha disse...

Deram alta para um acidentado de trabalho aonde o mesmo teve sua volta pela empresa contestada dando inapto para ele o mesmo ficou dois meses sem nenhum benefício so conseguiu voltar pela justiça federal

Caíque Rezende disse...

Por favor, contribuí mais de 18 anos mas fiquei sem contribuir por 10 anos. Comecei a trabalhar, com vínculo temporário de 12 meses, mas 10 dias após iniciar no trabalho precisei fazer uma cirurgia de emergência, nesse caso, descontando os 15 dias de obrigação do empregador não tenho direito ao benefício? É isso mesmo? Nem que eu pague os 4 meses que me informaram que seria meu prazo de carência?

Mr. Prev disse...

Marconha, no caso que você citou agora a perícia entendeu que o cara tinha condição de voltar, por isso cortou o beneficio.

Mr. Prev disse...

Caique, após perda da qualidade de segurado ,s e faz necessário 4 contribuições antes da incapacidade para ter direito ao auxílio-doença, exceto em casos de isenção de carência.

Não adianta querer pagar agora, 4 antes do emprego, contribuição como autônomo ou facultativo só vale a partir da primeira em dia.

tonim disse...

eu fiz uma cirurgia no ombro em junho 2013 e ainda faltava 20 dias para o termino do auxilio ainda em recuperação, novembro de 2013 precisei fazer uma reconstrução lca no joelho o medico cirurgião pediu 90 dias para recuperação marquei uma prorrogação no inss que no dia o perito não quis saber do ombro e pra mim ele cancelou um auxilio e colocou outro mas por complicações cirúrgica deu trombose na perna já no fim do auxilio janeiro 2014 o medico cirurgião pediu mais 90 dias para tratamento pois tive que parar as fisioterapias marquei outra prorrogação que foi indeferido joelho travado e perna inchada minha pergunta volto ao trabalho no dia 25/02/2014 ou tento uma reconsideração?no caso aguardando reconsideração posso estar no trabalho ou não?caso haja indeferimento na reconsideração ganho ou perco os dias?

Mr. Prev disse...

Se você ainda não pediu reconsideração, então tem direito a uma, sem garantias de recebimento do tempo que vai esperar pela perícia.

Se voltar a trabalhar e ganhar a recosndieração, os dias trabalhados vao ter que ser descontado do beneficio, mas isso não é feito automaticamente, o melhor é você informar ao INSS pois futuramente poderá ser cobrado com juros e multas.

Caíque Rezende disse...

Por favor, minha perícia foi agendada para dia 17/03 mas meu retorno vence em 12/3. Em contato com RH fiquei sabendo que não posso retornar antes da perícia. É isso mesmo? Em caso de prorrogação, quando vence o prazo para fazer o pedido? Dia 12? E o novo atestado, deve vir a partir de quando? Do dia 12 ou 17?

Agradeço

Caíque Rezende disse...

Por favor, minha perícia foi agendada para dia 17/03 mas meu retorno vence em 12/3. Em contato com RH fiquei sabendo que não posso retornar antes da perícia. É isso mesmo? Em caso de prorrogação, quando vence o prazo para fazer o pedido? Dia 12? E o novo atestado, deve vir a partir de quando? Do dia 12 ou 17?

Agradeço

Mr. Prev disse...

Caique, não existe nada na legislação que fala que você so pdoe retornar depois da perícia, para isso existe medico do trabalho, ele é quem fala se você pode voltar para empresa ou não, mas muitas empresas mandam esperar, mas corre o risco de você receber só o tempo que tem atestado(se receber pelo INSS).

Prorrogação se pede so depois da concessão do beneficio nos ultimso 15 dias de manutenção do beneficio.

Caíque Rezende disse...

Agradeço pelos esclarecimentos mas não entendi, devo pedir prorrogação somente após a concessão do benefício, certo? Esse pedido deve ainda ser feito antes do término dos dias concedidos pelo médico, ok? Mas se a perícia foi agendada para depois dessa data como requerer a prorrogação?

Desculpe perturbá-lo mas não consigo informações precisas.

Grato

Mr. Prev disse...

Prorrogação se pede nos últimos 15 dias de beneficio, se não for possível há a chance de pedir perícia de reconsideração que são os 30 dias após cessação/indeferimento do beneficio.

Talita Noivinha disse...

Preciso de uma informação, caso ,meu pedido de prorrogação seja negado eu tenho que esperar 30 dias para marcar um pedido de reconsideração?? é isso? mas nesses 30 dias o que devo fazer? aguardar em casa? avisar o empregador? haverá pagamento?? estou confusa....obrigada

Talita Noivinha disse...

Preciso de uma informação, caso ,meu pedido de prorrogação seja negado eu tenho que esperar 30 dias para marcar um pedido de reconsideração?? é isso? mas nesses 30 dias o que devo fazer? aguardar em casa? avisar o empregador? haverá pagamento?? estou confusa....obrigada

Mr. Prev disse...

esperar 30 dias é para solicitar um novo beneficio, o pedido de recosndieração se pede durante os primeiros 30 dias após cessação/indeferimento.

Voce pode entrar om recurso tambem caso ja tenha feito pedido de recosndieração, não rpecisa ficar simplementes esperando em casa.

Fabio Nk disse...

Bom dia. Em 2010 tive um cancer que me obrigou a fazer uma maxilectomia que retirou meu olho esquerdo e agora uso protese. Fiz radio e quimio. Entrei em depressao e entrei no vicio do jogo, perdi o carro porcausa do jogo e me separei da minha noiva. Desde 2010 estou afastado com auxilio-doenca porcausa do cancer inicialmente e depois porcausa de depressao. Ate marco de 2013 quando o INSS deferiu o pedido e entrei judicialmente e consegui 6 meses mas continuo recebendo ate hoje. Tenho q devolver o que estou recebendo apos setembro de 2013? Ha possibilidade de eu conseguir aposentadoria por invalidez?

Mr. Prev disse...

Fabio, fique tranquilo, beneficio judicial só o juiz pode tirar, se o INSS não fez a perícia até hoje, problema deles.
Auxílio-doença pode virar aposentadoria por invalidez, mas quais são as chances não tem como eu falar pois não sou médico nem conheço seu caso.

Rosilene Cardoso disse...

Bom dia! Mr. Prev. Gostaria que me ajudasse a tirar uma dúvida. Minha mãe entrou com pedido de aposentadoria por tempo de serviço Rural e foi indeferido, posteriormente descobrimos que ela havia pago alguns meses de contribuição como dona de casa e pedimos para fazer a mudança e pagarmos a diferença como contribuinte individual, ocorre que os funcionários não conseguiram fazer essa conversão e nos informaram para entrar novamente com o pedido de aposentadoria e informar que foi solicitado essa mudança e no entanto não fomos atendidas; pois bem, eu gostaria de saber se esta informação está correta e se para dar entrada novamente no benefício precisamos tirar cópias do processo administrativo que já se encontra no INSS ou se temos que tirar cópia e levar tudo de novo (coisa que eu acho que não haveria necessidade já que a documentação já esta tudo lá)?

Mr. Prev disse...

Em relação a documentação, até pode usar as cópias que estão lá, a não ser que a agencia não trabalhe desse modo, eu particularmente não gosto, já que é um novo processo trás tudo de novo, caso contrario, se tentar 10 vezes vai ficar tirando documentos de um processo e passando para outro.

Já em relação a contribuição, se pagou como dona de casa, então tem que complementar como facultativo e não Contribuinte Individual. Nesse caso não tem problema.

Se a pessoa era C.I e pagou como dona de casa entãa não é caso de complementar, e sim pedir restituição pois pagou tudo errado.

Mas qual a aposentadoria que sua mãe quer? por idade rural, ou por tempo de contribuição????

Tempo de contribuição tem que haver contribuição com alíquota de 20% para poder se aposentar, mesmo que rural.

Aposentadoria por idade, o rural que trabalhe em forma de regime de economia familiar nem precisa contribuir, basta comprovar a atividade na terra.

Rosilene Cardoso disse...

Então Mr. Prev. até então eu sabia que para aposentadoria Rural não precisava ter essa contribuição, bastava apenas comprovar o tempo de atividade Rural, ocorre que fui informada (não sei se erroneamente) que em 2011 houve uma mudança nas normas qto a aposentadoria mesmo que Rural no INSS, que se não houvesse contribuído ou se não contribuir pelo menos 1 mês diretamente ao INSS (quero dizer, se não pagar com aquele carnê que se compra em livrarias ou registro e CTPS) não consegue mais se aposentar mesmo que Rural.

Rosilene Cardoso disse...

Ah, então, ela quer aposentadoria por idade Rural.

Mr. Prev disse...

Em relação a mudança de 2011, foi para quem era diarista/boia-fria, que enquadrado como contribuinte individual precisa contribuir.

Se ela trabalhava em terra própria então é apresentar os docuemtnos da terra e que comprovam o exercício em regime de economia familiar.

Danilo Oliveira disse...

Boa tarde Mr. Prev.

Me chamo Beatriz

Meu marido retirou um tumor do cérebro em 2012, ficou com sequelas na visão, ficou cego do olho esquerdo, e cego na metade do olho direito e na outra metade ele enxerga vultos, desde então ele está afastado, porém dia 24/03/2014 ele passou em nova perícia, no resultado consta que o pedido de prorrogação foi deferido por incapacidade laborativa, e fala para aguardar o tempo de afastamento em novo comunicado, no entanto, ele tem vínculo empregaticio e o último afastamento se encerra agora dia 31/03/2014. Um funcionário do inss me informou que "provávelmente" o perito deu um tempo maior de afastamento para o meu esposo e precisa de homologação, porém ele não tem certeza se é isso, acho estranho pois meu esposo já chegou a ficar quase 1 ano afastado sem interrupção e não precisou desse procedimento.

Minhas perguntas são:
Pelo fato dele ter vínculo empregaticio o prazo de afastamento não deveria ter saído no mesmo dia?

Eles mandam esse comunicado posteriormente através dos correios ou devemos retornar ao inss?

Esse procedimento é padrão?

Grata.

Mr. Prev disse...

Quando o perito da afastamento por dois anos, não existe Data de cessação, e sim data de comprovação da incapacidade depois de 2 anos, esse é um dos motivos que faz a carta sair sem a data fim.

Pode haver uma sugestão de aposentadoria.

Para ter certeza qual caso seu marido se encaixa vao na agencia do INSS caso o 135 não saiba informar.

Gustavo Alexandre disse...

Boa noite, estou com o seguinte problema: meu ultimo dia trabalhado foi dia 24/01 ... após 15 dias levei atestado que iria entrar pelo inss ... a minha empresa me disse que eu só poderia marcar a perícia com os papeis que ela ia me entregar ... levei os documentos para ela no dia 12/02 e ela foi me entregar os papeis no dia 26/02 ... marquei a pericia nesse dia mesmo para o dia 14/03 ... assim me concederam o beneficio a partir do dia 26/02 e nao a partir do dia 09/02 que foi quando acabou os 15 dias de afastamento pela empresa. Agora liguei no INSS e me falaram que eu tinha até 30 dias para marcar a pericia, no caso até 24/02 .. e me disseram (ninguem aviso de nada) que a empresa que vai ter que arcar com isso pois ela que demorou para entregar os papeis (perdi mais de 2 semanas) ... e agr como fica?? Agradeço pela atenção.

Gustavo Alexandre disse...

Ah, eu voltei a trabalhar no dia 25/03 .. me concederam 60 dias de afastamento, 15 dias pela empresa e 45 dias pelo INSS (que no caso vao me pagar dia 01/04 os dias 26/02 a 28/02 e no dia 07/04 os dias 01/03 a 24/03). Nisso tudo, do dia 09/02 a 25/02 fiquei sem receber. Muita injustiça, pago INSS todo mês e não tenho direito ao recebimento por ter um tempo para marcar a perícia, isso que ninguém me informou nada e a empresa demorou para entregar os papeis.

Mr. Prev disse...

O INSS está correto, é o que está na legislação, a empresa que vacilou com você. Você até pode pedir revisão no INSS para receber desde o afastamento, mas será indeferido.

Luciana Neves Monsores disse...

Boa tarde estou afastada por não4 anos devido epilepsia generalizada com crises regulares,e com depressão unipolar grave com crises nervosas que me leva a fúria e tentativas de suicídio,passei pela perícia de prorrogação a permita me recusou pois eu não tinha levado o exames e sim os laudos ,e ela queria o documento que é dado pela empresa quando nos afastamos ,atualizado não tinha pois não me informaram no posto135 que era necessário,ela queria que minha esposa falasse como era as crises e o que acontecia ,edifício ela geralmente não lembra de nada,acorda totalmente fora do ar,pedi outra perícia ela foi encaminhada quase um mês depois p fazer outra perícia ,o perito que atendeu ela foi por ironia um perito que em uma ocasião pediu p mim retorna com ela no dia seguinte porquê ele não era psiquiatra e não entendia os exames e não sabia interpretar os Cid que ela tem.
Sei que ela Ta muito doente e como inss coloca peritos que não entende das doenças que existem,devido a pressão que ele fez para ela responder sobre suas crises e o que ela comete quando entra em fúria ela simplesmente entrou em choque e está mais deprimida do que antes ela só chora,e nem come e nem quer sair do quarto o que faço ?

Mr. Prev disse...

Em relação ao INSS, você pode entrar com recurso, depois de 30 dias pode pedir novo beneficio, e ainda existe a via judicial.

Recomendo fazer primeiro o recurso, se não der em nada parte para justiça.